Prevenção do câncer de mama começa na mudança de hábitos rotineiros

Dra. Luciana Miele destaca orientações para uma rotina preventiva que vai além dos exames de diagnóstico da doença, mas que também tornam o dia a dia mais saudável.

 

 

 

Quando o assunto é prevenção do câncer de mama, a primeira ideia que vem à mente é a realização dos exames clínicos mais conhecidos – como a mamografia e a ecografia. Mesmo que eles sejam fundamentais para o diagnóstico da doença, a rotina preventiva deve começar bem antes: ainda na alimentação e nos simples cuidados diários. Quem recomenda essas e outras orientações é a Dra. Luciana Miele, especialista em ginecologia, obstetrícia e mastologia.

Ela é uma das convidadas pela Liga de Combate ao Câncer de Bento Gonçalves para compartilhar seu conhecimento em vídeo depoimentos que estão sendo gratuitamente enviados às empresas da região, para que possam ser replicados a seus colaboradores, criando uma rede positiva de disseminação da informação. A ação substitui as tradicionais palestras de conscientização do Outubro Rosa, que, em função da pandemia, não estão ocorrendo no formato presencial neste ano. Também é possível acessa-los pelos canais da Liga de Combate ao Câncer de Bento Gonçalves nas redes sociais (para saber mais, visite www.ligaccbg.com.br).

Dr. Luciana é categórica ao afirmar: a alimentação saudável é o ponto mais importante na rotina diária de prevenção. “A pergunta que faço é a seguinte: será que a realização de todos os exames de rotina é o suficiente para a saúde das mamas? A resposta se dá por meio de uma série de fatores que ajudam a reduzir os riscos desse tipo de doença, e a alimentação saudável é o principal deles”, considera a mastologista.

Para ela, é preciso dar preferência a alimentos orgânicos ou com o mínimo de agrotóxicos possível. “Vamos desembalar menos e descascar mais. Precisamos de comida de verdade, como as nossas avós faziam. Evitar processados, embutidos, enlatados, refinados e açúcar em excesso”, orienta. Junto com a alimentação saudável, vem a manutenção do peso corporal. Segundo Miele, a obesidade está diretamente relacionada com tumores e cânceres hormônio-dependentes – aumentando muito o risco de doenças. “É necessário conscientizar, também, sobre estar no peso adequado, dentro do que é saudável. E, nesse sentido, incentivar a prática de exercícios físicos, pois, além da manutenção do peso, eles auxiliam no bem-estar e na liberação de endorfinas, ajudando, também, na plasticidade muscular do corpo”, pontua.

Prioridade para o sono adequado e intestino regulado

Outro ponto abordado pela especialista é a qualidade do sono e, claro, sua dosagem correta (de seis a oito horas diárias). “Dormir bem é importante para a reparação das células, liberando substâncias e hormônios para a síntese de diversas reações no organismo”, explica. Ao mesmo tempo, a regulagem do intestino se conecta a questões decisivas para o surgimento de doenças, como o câncer de mama. “O intestino é considerado nosso ‘segundo cérebro’. Se esse órgão não estiver funcionando bem, pode ocorrer um acúmulo de estrogênio – hormônio feminino que, em excesso, é danoso à saúde das mamas”, enfatiza.

Equilíbrio na saúde mental

Mesmo que aparentemente distante de questões ligadas ao câncer de mama, a harmonia entre saúde mental, gerenciamento do estresse e relações interpessoais faz, sim, diferença na prevenção. “Nunca antes havíamos nos dado conta do quão importante é termos esses aspectos de nossas vidas funcionando de forma equilibrada. O estresse crônico acaba levando ao acúmulo de uma série de substâncias que fazem mal ao organismo”, pontua.

Ao lado disso, é preciso cuidar de problemas metais, como a ansiedade em excesso e a depressão, especialmente pelo atual momento. “É muito importante, também, colocarmos as relações interpessoais como prioridade. É tão bom quando temos por perto pessoas que amamos, que nos aquecem e nos afagam em momentos de dificuldade. Vamos rir, abraçar, amar e tentar sermos mais felizes”, enfatiza a médica.

Onde buscar suporte

A Liga de Combate ao Câncer de Bento Gonçalves presta, há mais de 40 anos, trabalho assistencial para pacientes acometido pela doença e prestando suporte a seus familiares. A atuação precisou se reinventar por conta das restrições impostas pela pandemia – descobrindo novas formas de atuação para garantir o suporte a quem precisa. Muitos atendimentos têm ocorrido de forma virtual – processos são agilizados pelo whatsapp, especialmente os que envolvem consecução de remédios, liberação de exames e repasse de doações. Apenas os trabalhos presenciais, que envolvem os grupos de apoio, foram suspensos – e transferidos, também, para a modalidade virtual.

A Liga de Combate ao Câncer tem, hoje, uma estrutura completa para ajudar quem foi diagnosticado com a doença. A entidade oferece assistência no tratamento e mantém uma valiosa rede de apoio que ajuda os pacientes em tratamento também no aspecto psicológico, fundamental para garantir seu bem-estar e dar forças para batalhar contra o câncer. Informações podem ser obtidas pelo fone (54) 3451.4233, ou pelo celular 9.9182.3167 e também pelo site www.juntoscomaliga.com.br

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *