Estação da Vindima inicia nesta semana com perdas de 20%, segundo a Emater

Coordenador da Área de Fruticultura do Emater Regional Serra, Enio Ângelo Todeschini, afirma que a chuva registrada na última semana auxiliou a “estancar” prejuízos

A 11ª edição da Estação da Vindima será oficialmente aberta nesta sexta-feira, dia 17, na Rua Coberta. O evento terá início às 18h na Praça Achyles Mincarone, no bairro São Bento, com benção às uvas e a safra, seguido de procissão até a Rua Coberta, onde terá produtos, pisa simbólica de uvas e uma festa para brindar mais um ano de colheita. Entretanto, alguns agricultores vêm sentindo os efeitos climáticos. De acordo com o Coordenador da Área de Fruticultura do Emater Regional Serra, Enio Ângelo Todeschini, o último levantamento semanal do órgão apontou perdas médias de 20% em algumas propriedades da região. “Alguns agricultores estão falando em perdas de até 40%. Outros, não registraram prejuízos”, relata.

A estiagem tem sido uma das grandes vilãs dos produtores, entretanto, segundo Todeschini, outros fatores contribuíram com as perdas. O frio intenso entre agosto e setembro do ano passado e o excesso de chuva entre outubro e novembro, também prejudicaram as parreiras. “Os agricultores esperavam colher 21 mil kg por hectare e acabaram perdendo mais de 4 mil kg”, analisa. “Além da chuva em excesso, outro fator direto é a questão da pouca radiação solar. Quando chove fica vários dias nublado e a planta não consegue fazer a fotossíntese. Sem radiação solar ela produz menos nutrientes” explica.

Agora, a seca tem sido a principal preocupação do produtor. O Engenheiro esclarece que a chuva registrada na última semana foi “boa e abrangente” e que auxiliou a estancar o avanço das perdas. Entretanto, ela não resolve o problema do agricultor. “Se não voltar a chover entre 5 a 8 dias, a situação volta a ser preocupante, pela deficiência de água no solo”, afirma.

O próximo levantamento semanal será informado nesta terça-feira, dia 14.

Foto: Divulgação